Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

EMISSÕES DOS POLUENTES DOS COMBUSTÍVEIS: NOVA LEI COMUNITÁRIA ENTRA EM VIGOR DIA 31

Mäyjo, 28.12.16

poluicao-combustiveis

O último dia do ano será o primeiro na adopção dos novos limites nacionais para as emissões dos poluentes dos combustíveis na União Europeia. A directiva comunitária vai obrigar Portugal a reduzir drasticamente as emissões dos cinco principais poluentes.

 

Estabelecendo metas para os Estados-membros, face aos valores de 2005, a nova lei comunitária fixa novos limites máximos anuais de emissão para cada país relativamente aos cinco principais poluentes.

De acordo com as novas normas, Portugal terá que reduzir, face aos valores de 2005, as emissões de dióxido de enxofre (SO2) em 63% entre 2020 e 2029 e 77% a partir de 2030, de óxidos de azoto (NOx) em, respectivamente, 36% e 71%, amoníaco (NH3) em 7% e 16% e de metano (CH4) em 70% e 29%, respetivamente, nos combustíveis vendidos.

Os compostos orgânicos voláteis não-metânicos (NMVOC), também terão de ser reduzidos. Em Portugal será necessário cortar 18% nas emissões entre 2020 e 2029 e 46% a partir de 2030, enquanto nas emissões de partículas finas (PM2,5), a reduções estipuladas são em 15% e em 70%, respetivamente.

Os compromissos de redução para 2020 são idênticos aos já acordados pelos Estados-membros a nível internacional aquando da revisão do Protocolo de Gotemburgo em 2012. Já os compromissos para 2030 exigem reduções ainda maiores. A Comissão Europeia acredita que estas medidas ajudarão a reduzir as concentrações de gases poluentes em toda a Europa.

Foto: alex silvera / Creative Commons 

REFORMA FLORESTAL: O QUE ESPERAR NO FUTURO?

Mäyjo, 27.12.16

floresta_-domingos-moreira

Para o ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, a reforma da floresta não pode ser encarada como uma “solução imediatista”, devendo-se procurar medidas que possam ser aplicadas nas próximas décadas.

 

“Queremos dar o primeiro passo daquilo que sabemos que é um percurso que temos de percorrer nas próximas décadas, daí o esforço genuíno para conseguirmos o máximo de consenso possível para que o que consigamos construir agora não venha a ser desmantelado por qualquer Governo que suceda daqui a três, quatro ou cinco anos”, declarou Capoulas Santos durante a conferência “Visões para uma Floresta de Futuro”, no Porto.

Apostar na conservação dos ecossistemas e dos recursos naturais, para garantir uma floresta “adaptada à futura sociedade e resiliente às mutações ambientais e socioecómicas” é uma das metas quando se fala numa ideia de floresta para o futuro. Para conseguir esta mudança, Capoulas Santos defende que a reforma em curso quer eliminar alguns dos principais entraves à sustentabilidade da floresta em Portugal, entre eles a gestão activa e profissional e o ordenamento do território.

“Para a gestão é preciso criar estímulos e incentivos para que seja atractivo gerir a floresta e isso só acontecerá se houver rentabilidade, mas a rentabilidade e atracção de capitais existe se houver minimização dos riscos”, salientou o ministro da Agricultura.

Capoulas Santos defende assim que “a prevenção estrutural, na área da defesa da floresta contra incêndios, apresenta muitos exemplos de oportunidades de melhoria na eficiência de utilização de recursos, sobretudo no que respeita à gestão das continuidades de combustível”, considerou.

Foto: Domingos Moreira / Creative Commons

 

ESTE COMBOIO ALEMÃO É MOVIDO A ENERGIAS RENOVÁVEIS E A BORDO SÓ SÃO SERVIDOS ALIMENTOS ORGÂNICOS

Mäyjo, 26.12.16

locomore

Quando comparado com outros meios de transporte, o comboio continua a ser dos veículos com menores emissões de gases de efeito estufa. A empresa alemã Locomore quis levar esta ideia ainda um pouco mais longe e criou um comboio que circula através de energias renováveis e que durante a viagem serve alimentos orgânicos aos passageiros.

 

Criado através de financiamento coletivo, este comboio amigo do ambiente teve a sua viagem inaugural há cerca de um mês e para já circula no trajecto Berlim-Estugarda, com paragens em Frankfurt e Hannover. Para garantir que o comboio é movido apenas com recurso a “energias limpas”, a Locomore assinou contrato com uma empresa de energias renováveis alemã, conseguindo assim o selo de “energia verde”.

Mais de 530 km separam Berlim e Estugarda, pelo que a empresa quis dotar o comboio de todas as funcionalidades para tornar a viagem agradável, mas tendo sempre a sustentabilidade como objectivo principal. Assim, todos os alimentos servidos a bordo são orgânicos e foram produzidos de forma justa, com os produtores a serem justamente compensados e com o produto a estar livre de mão de obra escrava.

Mas não é tudo. Na hora de escolher o lugar, há também várias opções ao dispor do viajante: carruagens para toda a família, carruagens onde o silêncio é sagrado e para manter, e carruagens onde podemos escolher o tema de conversa para debater com os nossos companheiros de viagem. Animais e bicicletas também são bem-vindos neste comboio amigo do ambiente. Um meio de transporte alternativo a descobrir aqui.

Foto: Locomore Facebook 

 

Neve no Sahara

Mäyjo, 26.12.16

neve 1

 

Foto: Karim Bouchetat

 

Esqueceu de um presente para alguém?

Mäyjo, 26.12.16

 

 

 

Se esqueceu de um presente para alguém, fica aqui um a sugestão que ainda vai a tempo e é fantástica:

Já pensou em adotar um animal selvagem em recuperação?

peneireiro-macho

Todos os anos pelo Natal dois centros de recuperação de animais selvagens unem-se para fazer uma campanha de adoção. A deste ano está em curso e permite aos aderentes dar um presente original e solidário.

 

É o tipo de presente que ninguém espera e que se destaca de todos os outros. O Cervas – Centro de Ecologia, Recuperação e Vigilância de Animais Selvagens, de Gouveia e o RIAS – Centro de Recuperação e Investigação de Animais Selvagens de Olhão unem-se todos os anos nesta campanha.

Desta forma as duas organizações angariam fundos para a manutenção dos seus centros ao mesmo tempo que proporcionam uma verdadeira experiência de aproximação ao meio selvagem a quem aderir à campanha.

Quem apadrinha um animal em recuperação tem direito a receber fotos do animal, notícias sobre a sua recuperação e assistir à sua devolução à Natureza, caso tal seja possível no termo do período de internamento. A partir de 15€ já é possível ser padrinho de um animal. Descarregue a ficha de apadrinhamento aqui.

Foto: Voando na Natureza